Minha História

rosateube23

Em meados de 2.000, fiz uma consulta espiritual com a taróloga e amiga Fátima Kubrusly, e ela disse que a minha missão aqui na terra era desenhar Anjos da Guarda. Achei um absurdo, pois como iria desenhar anjo da guarda se não os via? Também não queria que me chamassem de louca, além do que não sabia desenhar quase nada. Na época eu pintava porcelana: neste tipo de trabalho, a gente simplesmente copia o risco.

Passado mais ou menos 1 ano, o meu filho, que também tinha feito consulta com ela, encontrou-a em um restaurante. Ela não o reconheceu de imediato, mas ele foi falar com ela e disse que era o meu filho. Foi então onde ela me “intimou” para encontrar com ela no dia seguinte. Fui até o local combinado, conversamos bastante e eu disse que não poderia desenhar os anjos, achava que era muita loucura. Então ela me pediu para desenhar os mestres da Fraternidade Branca.

Comprei um livro e algumas fotos dos mestres, fiz xerox, passei para o papel e pintei. Ficaram ótimos, entreguei a ela, que adorou o meu trabalho, mesmo sendo cópia. Ela insistiu novamente que eu desenhasse anjos. No dia seguinte peguei um monte de imagens de anjos de grandes pintores, fiz xerox, copiei e pintei. Ficaram bons, mas era somente um papel pintado, não tinham vida.

Em umas das encomendas de mestres que ela me fez, ao desenhar o Saint Germain (o mestre da luz violeta), perguntei à ele porque que não conseguia desenhar anjos, se a minha missão aqui na terra era desenhá-los. Naquela noite sonhei com ele, quando ele me disse que eu não conseguia porque o anjo que eu tentava desenhar não tinha protegido, isto é, era somente uma cópia de anjo. Levantei cedo, fui até ao cavalete disposta a desenhar o meu anjo e, sem perceber, comecei a desenhá-lo pela íris dos olhos. Em duas horas ele estava lindo, vivo e batendo asas, querendo voar.

Nesta época inclusive eu estava fazendo uma novena para Nossa Senhora, queria arrumar um trabalho, pois estávamos passando por problemas financeiros, mas nunca imaginei que fossem os anjos o meu trabalho. Estava procurando trabalho como mãe-motorista, fazer conservas ou qualquer coisa assim, pois eu não mais tinha uma profissão. Queria fazer alguma coisa que já soubesse, mas Nossa Senhora me levou para os anjos, pois ela é a Rainha dos Anjos. Antes de terminar a novena, comecei a receber encomendas de anjos, e hoje não dou conta do meu trabalho, tanto são as encomendas que recebo.

 

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMeu Contato com os Anjos

O meu contato com os anjos é feito através da íris dele, inclusive é a primeira coisa que eu desenho. É através dos olhos que eu recebo toda a energia do anjo. Sei quando ele está triste por falta de oração, sei quando ele está feliz porque o dono lhe quer bem, sei se ele está preocupado… Antes do contato com o anjo, faço um ritual para canalizar a energia. Como não os vejo nem escuto, eles se comunicam comigo através da expressão, passando então seus recados ao protegido.

Existe anjo muito brincalhão, é interessante como eles brincam comigo. Também tem o anjo apressado, que mal me deixa terminar de desenhar que já quer ser entregue ao dono, sem falar de alguns que me acordam de madrugada, querendo ser desenhados; outros meio tristes, talvez porque a pessoa não solicita seu anjo, não reza; tem também aqueles que são detalhistas, querem todos os traços bem desenhados; alguns parecem que se mexem tanto que não dá para pegar direito os seus traços.

Para mim os desenhos têm vida, eles se mexem dentro do papel, e pessoas sensitivas sentem o que sinto, no mesmo momento. Não sou vidente, não enxergo imagens, trabalho somente com a energia. Depois que canalizo a energia, a mão desliza no papel. Tem anjo que fica difícil de pegar a energia de canalização, talvez porque quem solicitou não acredita em anjo, então o canal fica muito fechado para mim. Chego a levar dias para entrar em contato com o anjo da pessoa.

Outros Desenhos

Em relação aos Mestres, é claro que hoje não tiro mais xerox, desenho como eu os vejo, isto é, através da íris eles vão me passando os traços. Adoro desenhá-los, parece que pegam a minha mão e se desenham sozinhos.

Os Mentores também desenho da mesma forma que os anjos e mestres, só que os Mentores já têm uma energia mais forte, são mais exigentes. Os anjos são mais delicados, brincalhões e a energia deles é mais sutil. A energia dos Mestres é maravilhosa, é de muita luz.

Somente encerro o meu trabalho quando o anjo, Mentor ou Mestre aprovam o desenho; isto é, pelo olhar, parece que me dão uma leve piscadinha e um sorriso de aprovação.